Foto de l'equip Barcelona Atlètic. Barcelona At. 0 Lugo 0. 22 de juny de 1991 (darrer partit lligueta d'ascens a Segona A)

Barcelona At. 0 Lugo 0. 22 de juny de 1991 (darrer partit lligueta d'ascens a Segona A) – Equip Barcelona Atlètic

Foto del 28 de febrer del 1980. Oriol Tort amb Bautista, jugador de les categories inferiors

28 de febrer del 1980. Oriol Tort amb Bautista, jugador de les categories inferiors

Foto de la celebració de l'equip juvenil, Campió d'Espanya (1973)

Celebració equip juvenil Campió d'Espanya (1973)

Imatge de l'equip del Barcelona Atlètic, 14 d'octubre del 1970

14 d'octubre del 1970 Barcelona At. 1 Bilbao At. 4 (Partit disputat al Camp Nou) – Equip del Barcelona Atlètic

As equipes reserva do Barça tiveram início em 1901, quando o secretário da diretoria e atacante Lluís d'Ossó lançou uma segunda equipe para o clube que demonstrou ser bem-sucedida e jogou com vários nomes, como “Acèrrims” ou “Nova Germanor”.

O juvenil foi a base das lendários equipes de 1920

Em 1918, Joan Ragué, secretário da diretoria de Joan Gamper, lançou a criação das equipes infantil e juvenil e o técnico húngaro Jesza Poszony se tornou a primeira pessoa a ser empregada diretamente para cuidar da estrutura das equipes reserva, sendo responsável pelas equipes da quarta classe, que ainda eram amadoras. Durante a bem-sucedida década de 1920, a equipe principal, quase 100% catalã, estava cheia de jogadores que haviam se destacado através das equipes reserva e juvenil, e o clube possuía 1000 jogadores de futebol em todas as categorias.

Reconstituição pós-guerra e Espanya Industrial

As reviravoltas após a Guerra Civil Espanhola deixaram toda a estrutura seriamente danificada e Ramon Llorens e Josep Boter precisaram trabalhar duro para reconstruir e alcançar um sucesso significativo novamente nas décadas de 1940 e 1950.

Em 1945, o FC Barcelona assinou um acordo de colaboração com a Espanya Industrial, uma empresa têxtil que também tinha uma equipe de funcionários, que se tornou efetivamente uma equipe reserva do Barça. A Espanya Industrial foi promovida para a Primeira divisão espanhola em 1953, mas decidiram permanecer na segunda divisão, uma decisão revertida três anos mais tarde, quando ganharam a promoção novamente. Como equipes com nome de empresas não eram permitidas na divisão principal, o nome foi alterado e na temporada de 56/57 a equipe jogou na Primeira divisão com o nome do Comtal.

Comtal e o Atlètic Catalunya se juntaram em 1970 para criar o Barça Atlètic

Apesar do bom trabalho do seu técnico Miquel Gual, o Comtal foi rebaixado e em 1957 estava jogando na segunda divisão mais uma vez, onde permaneceram, com várias visitas à terceira divisão, até 1970, quando se juntaram com outra equipe reserva do Barça, a Atlètic Catalunya (que na época também estava na terceira divisão) para se tornar o Barça Atlètic.

Em 1965, uma equipe de trabalhadores do bairro de Sant Andreu chamada CF Fabra i Coats também se tornou parte da estrutura do Barça e eles jogaram na terceira divisão até a criação do Barça Atlètic.

Quarenta anos de sucesso

Josep Seguer foi o primeiro técnico do novo Barça Atlètic, que começou a jogar na terceira divisão e então, após 1974, nas categorias A e B da Segona Divisió. Enquanto isso, as equipes juvenis estavam ganhando diversos títulos e a criação do La Masia em 1979 foi decisiva para impulsionar a estrutura juvenil, que a partir de 1980 foi abençoada com a presença de Oriol Tort como coordenador, um trabalho que ele manteve por aproximadamente 20 anos, se tornando um dos maiores reveladores de talentos de todos os tempos.

O antigo Barça Amador, que sempre havia sido a terceira equipe do Barça, foi fundado em 1967 e sempre jogou na liga abaixo do Barça Atlètic. Em 1993, eles mudaram o nome para Barça C e desapareceram em 2007, quando o Barça Atlètic foi rebaixado para a terceira divisão.

Em 1991, novas regras fizeram com que o Barça Atlètic mudasse o seu nome para Barça B. Tal título permaneceu até 2008, quando Guardiola os levou para a Segona B e eles se tornaram mais uma vez Barça Atlètic. O nome mudou novamente em 2010, quando eles foram promovidos para a Segona A e se tornaram, mais uma vez, Barça B.

Das equipes mais juvenis até o próprio Barça B, as equipes secundárias do time ganharam muitos títulos ao longo dos anos, tanto nacionais quanto internacionais, mas talvez a maior importância resida no fato de que a meta principal dessas equipes é a de treinar jogadores de futebol e não a de ganhar competições, e assim elas produziram vários jogadores que foram bem-sucedidos na equipe principal. O sucesso da linha de produção do clube tem sido espetacularmente óbvia recentemente com o núcleo da equipe ganhadora dos seis troféus tendo sido formado no La Masia e com a equipe espanhola ganhadora da Copa do Mundo tendo nove jogadores provenientes da estrutura juvenil do clube: Valdés, Reina, Puyol, Piqué, Busquets, Xavi, Iniesta, Cesc e Pedro, todos, com exceção de Reina e Cesc sendo jogadores do Barça.