fcb.portal.reset.password
Marcelinho Huertas beija o troféu conquistado pelo Barça.

Marcelinho Huertas celebra um dos títulos conquistados com a camisa culé. FOTO: ÀLEX CAPARRÓS-FCB.

Marcelo Tieppo Huertas (30 anos) está próximo de completar a sua 10ª temporada no basquete espanhol, onde construiu uma carreira de sucesso e obteve diversos reconhecimentos em todas as equipes por onde passou. Foi eleito duas vezes o melhor armador da Liga ACB (atual Liga Endesa) e sempre teve papel decisivo nos títulos que conquistou.

Nessa primeira parte da entrevista exclusiva para o www.fcbarcelona.pt, o popular Marcelinho Huertas comenta sobre a sua etapa no Barça, o seu papel no time e as perspectivas do clube com relação aos possíveis títulos da temporada. O armador brasileiro é um dos mais experientes do atual elenco culé e exerce um papel de líder para o técnico Xavi Pascual. Confira!

O Barça está em terceiro nesta fase classificatória da Liga Espanhola (Endesa). Acredita que a posição na tabela faz jus a realidade o tem algo errado aí?

Marcelinho – Tivemos muitos altos e baixos neste começo de temporada. perdemos alguns jogos inesperados, mas acho que nossa posição deveria ser um pouco melhor. Acho que poderiamos estar tranquilos na segunda posição se não fossem alguns tropeços que tivemos.

Nesta sexta-feira, o Barça enfrenta o Herbalife no Palau Blaugrana. No domingo, um novo clássico contra o Real Madrid (líder invicto da temporada), em Madrid. Como analisa esses dois últimos confrontos de 2013?

Marcelinho - O Herbalife é um time de tradição, difícil de vencer. Jogam duro e possuem uma defesa forte, que não permite que os adversários marquem muitos pontos. Estão crescendo no campeonato e, mesmo jogando em casa, será difícil. Se vencemos esse jogo na sexta, iremos à Madrid com mais confiança. De qualquer forma, não há nada que motive mais que um clássico contra o eterno rival. Buscaremos a vitória para acabar com a invencibilidade deles e porque todos estão dizendo que eles são favoritos. Se vencemos, além de dar mais confiança, demonstrará que podemos ser melhores que o Madrid não só em apenas um jogo como também nos playoffs.

Como vê a possibilidade do Barça voltar a vencer a Euroliga, um sonho da torcida culé?

Marcelinho – Agora iniciaremos a segunda fase, o ‘Top 16’ e todos começam do zero. Na primeira fase, pegamos um grupo complicado com dois favoritos logo de cara (O Fenerbahçe e o CSKA). Perdemos um jogo que não estava nos planos (contra o Nanterre, no Palau) e ficamos em terceiro. Sem essa derrota, teríamos ficado com o primeiro lugar do grupo. Mas agora começamos tudo do zero e sabemos da nossa capacidade. Só podemos prometer fazer o possível para chegar até a ‘Final Four’ da Euroliga e ali tudo pode acontecer.

Esse é seu 3º ano com a camisa do FC Barcelona. Com os reforços de Papanikolau, Dorsey, Lampe e Pullen, entre outros, acredita que a equipe está mais competitiva que nas temporadas anteriores?

Marcelinho – Sempre que há mudanças é normal que demore para você ter o resultado. Acho que o grupo é mais jovem, mas muito experiente. Um exemplo disso é o Papanikolau, que com 23 anos já venceu duas Euroligas e tem padrão NBA, como outros. Temos que ser pacientes. Na minha opinião, o único que nos falta é encontrar uma regularidade, até porque quando jogamos bem é de encher os olhos do torcedor e o nosso também. No final, sempre perguntamos: “Por que não jogamos sempre assim?”.

Como você definiria o teu papel nessa equipe?

Marcelinho – Acho que o meu papel, como o do Víctor Sada e o do Jacob Pullen é o de saber dirigir as peças dentro da quadra. Temos que buscar as opções certas dentro de cada momento do jogo, saber adaptar-se ao tipo de defesa feita pelo adversário, ter uma boa comunicação com o técnico e ser um pouco a voz dele dentro da quadra. Também ter uma boa comunicação com os companheiros e transmitir segurança e liderança.

Na tua opinião, por que o Barça é mais que um clube?

Marcelinho – Não só pela grandeza e pela história que tem como clube mas também pela maneira como as coisas são feitas aqui. As pessoas que trabalham aqui são educadas, se oferecem de coração para ajudar no que você precisa e são todas pessoas do bem. Aliás, o clube sempre se preocupa com a sua imagem e por isso quando busca um profissional, além de ser bom atleta, é fundamental que tenha boa reputação e seja boa pessoa. Os funcionários são 100% dedicados ao clube e dá para ver o orgulho na cara das pessoas por trabalhar aqui e o empenho de todos nas tarefas do dia a dia. Acho que tudo isso tranforma o Barça num clube único.

Colecionador de títulos

Marcelinho Huertas se converteu num colecionador de troféus desde a sua chegada ao FC Barcelona. Em pouco mais de dois anos vestindo a camisa azul-grená, conseguiu seis títulos. São eles: 3 Ligas da Catalunha, 1 Liga ACB, 1 Copa do Rei e 1 Supercopa da Espanha. 

Voltar ao início