Jogadores celebram primeiro gol de Arda | MIGUEL RUIZ

A temporada oficial do FC Barcelona não poderia ter começado melhor. No segundo e definitivo jogo da Supercopa da Espanha, diante de 71.803 espectadores no Camp Nou, o time de Luis Enrique fez grande partida contra o Sevilla e, mesmo podendo perder por até um gol de diferença – ganhou na ida por 2 a 0 - foi para cima do rival e fez 3 a 0. A vitória selou a 12ª Supercopa da história do clube, o maior vencedor desta competição. Arda Turan (duas vezes) e Leo Messi marcaram para o Barça.

Excetuando os primeiros cinco minutos, quando o Sevilla pressionou e chegou a mandar bola na trave de Claudio Bravo, a etapa inicial foi toda do Barça. Trocando passes com velocidade e cadenciando o jogo com tranquilidade, o time de Luis Enrique envolveu o adversário e criou oportunidades para marcar.

Arda e Bravo decisivos

Já aos 9 minutos, André Gomes deu bom passe para  Messi, que deixou Arda livre para marcar, pelo lado esquerdo da área. Oito minutos mais tarde, os anfitriões quase ampliaram, após Aleix Vidal cruzar da direita para Messi, que chutou forte. A bola passou à esquerda do gol do goleiro Sergio Rico. Os culés mantinham o controle e tramavam jogadas, principalmente pelo lado esquerdo, com Arda, André, Lucas Digne e Messi.

O Sevilla ensaiou reação e teve pênalti marcado em seu favor aos 30 minutos, quando Umtiti tocou a mão na bola dentro da área. No entanto, VicentIborra cobrou no canto direito e Bravo defendeu. Cada time ainda chegaria com perigo mais uma vez ao gol oposto, com o Sevilla mandando outra bola na trave, mas o placar terminou em 1 a 0 para os donos da casa ao final dos primeiros 45 minutos.

Selando o título

O Barça voltou do vestiário demonstrando que não mudaria sua postura. Antes que o relógio marcasse 1 minuto, Arda Turan apareceu novamente, chutando com efeito da intermediária e surpreendendo Rico. Um golaço do turco, que seis minutos depois quase fez o seu terceiro na partida, tentando encobrir o goleiro após receber passe magistral de Messi..

Novamente um gigante em campo, o próprio argentino se encarregou de ampliar o marcador aos 9 minutos, de cabeça, complementando cruzamento de Digne. Só dava Barça, e aos 18, Umitit se arriscou com sucesso no ataque, tocando para Munir, que sofreu falta na entrada da área.

Com Jordi Alba no lugar de Digne, Ivan Rakitic no de Denis Suárez e Sergi Samper no de Sergio Busquets, o Barça ainda terminaria a partida com um jogador a menos, já que Mascherano sentiu dores e saiu de campo. No último minuto, Messi ainda quase marcaria um de seus gols de placa, em sucessão de dribles seguida de chute com efeito. Mas o placar ficou mesmo em 3 a 0, mais do que suficiente para que a equipe culé se sagrasse supercampeã da Espanha.