fcb.portal.reset.password

Messi é o artilheiro da Champions, com 11 gols | Santi Garcéz-FCB

“Se um rival pode marcar quatro, nós podemos marcar seis”, afirmou Luis Enrique na coletiva da última terça-feira. Ninguém imaginava que era uma premonição. O FC Barcelona goleou o PSG nesta quarta-feira por 6 a 1 e está nas quartas de final da Liga dos Campeões, para a alegria dos 96.290 torcedores presentes no Camp Nou.

Foi o maior feito já conseguido na melhor competição de clubes do planeta. Nunca antes uma equipe tinha se classificado após perder por 4 a 0 a primeira partida de uma fase eliminatória. Mas o melhor time da história provou mais uma vez que não existe o impossível e fulminou mais um tabu do futebol mundial.

Início contundente

O início de jogo não poderia ter sido melhor para o Barça. Aos três minutos, após um cruzamento da direita, a zaga do PSG afastou mal e Luis Suárez se antecipou a Trapp para abrir o placar de cabeça. O gol incendiou o Camp Nou e também reforçou a fé que os craques culés mostraram durante toda semana. Com isso, o clube catalão acuou o PSG.

Desta vez, quem estava perdido era o time francês diante de um Barça veloz, preciso e agressivo. Entretanto, apesar do domínio, a equipe culé não conseguia criar chances claras para ampliar. Desse modo, foi preciso algo de ‘ajuda’. Iniesta recebeu um passe de Busquets e, na linha de fundo, mandou de calcanhar para o meio da área. Kurzawa tentou cortar e marcou contra. Barça 2 a 0.

Façanha histórica

O começo da segunda etapa foi uma cópia da primeira. Aos três minutos, Neymar - em outra noite inspirada - foi derrubado na área e o árbitro marcou pênalti. Messi cobrou com eficiência e ampliou a vantagem. O argentino chegava ao seu 11º gol na Liga dos Campeões e o clube catalão estava a apenas um de igualar a eliminatória. O Barça era melhor em campo e controlava a partida, mas no ímpeto de marcar o quarto acabou sofrendo o primeiro.

Cavani recebeu um passe de Kurzawa e fuzilou Ter Stegen. Nesse momento tudo parecia perdido. Porém, ninguém imaginava que a situação voltaria a mudar completamente, com três gols do Barça em sete minutos. Primeiro, Neymar cobrou falta no ângulo de Trapp. Na sequência, o brasileiro cobrou um pênalti e marcou o quinto. E no último lance da partida, Sergi Roberto recebeu um lançamento na área para marcar o sexto e entrar para a história. 

Voltar ao início