fcb.portal.reset.password

Suárez, com a Supercopa / MIGUEL RUIZ

Luis Suárez não perde a força. Em Tiflis, na final da Supercopa de Europa contra o Sevilla, enquanto Leo Messi brilhava novamente - recebendo posteriormente o prêmio MVP - e Pedro marcava o gol decisivo, o atacante também era protagonista, mostrando que se tornou um atleta indispensável no elenco culé.

Artilheiro da pré-temporada com três gols, o uruguaio ofereceu um verdadeiro recital de mobilidade, esforço e raça. Insistente e com uma alta capacidade de recuperação, ele participou dos três primeiros gols do Barça – provocando as faltas que resultaram nos gols de Messi e dando assistência para o de Rafinha, entre as pernas de Krohn-Dehli. Depois, graças à sua persistência, anotou o quarto, seu primeiro tento oficial na nova temporada. Ainda teve outra oportunidade clara de marcar, em um lance cara-a-cara com o goleiro rival, Beto.

Os número de Suárez na final

Minutos jogados: 120

Passes totais: 35

Precisão: 88,6%

Assistências: 1

Gols: 1

Chutes a gol: 4

Bolas recuperadas: 1

Faltas recebidas: 5

Voltar ao início