fcb.portal.reset.password

Luis Enrique, durante o jogo contra o Galaxy / MIGUEL RUIZ-FCB

Luis Enrique iniciou a série de amistosos de pré-temporada com a mesma confiança e o mesmo otimismo com os quais encerrou o ano 2014-15. "Gostei muito do time", afirmou o técnico, que ressaltou a grande "intensidade" exibida pelo FC Barcelona na vitória por 2 a 1 sobre o LA Galaxy, no Rose Bowl de Pasadena.

A seguir resumimos, por tópicos, as declarações mais destacadas da entrevista coletiva concedida pelo comandante culé após a estreia da equipe na International Champions Cup:

Expectativas cumpridas

"Estivemos em nosso nível. Gostei muito do time. Fomos muito intensos, como se esperava. Os exercícios nos treinos funcionaram, sobretudo os que realizamos em divisões de campo reais. Jogamos 45 minutos em um ritmo muito bom".

 "Para um primeiro jogo de pré-temporada, após sete dias de treinamento – com algumas sessões duplas -, tenho boas impressões. Achei que os jogadores estiveram bem, com bom ritmo e estou feliz com o que vi"

Revezamentos

"No início de temporada, necessitamos revezar muitos jogadores. Fizemos sete alterações. Vi coisas que já havíamos feito durante a temporada anterior e continuamos repetindo".

O que pode melhorar

"Tudo. A pressão, a circulação de bola. Gostei muito da equipe, porque fomos intensos e não cometemos erros graves, mas podemos melhorar em tudo. Além disso, é o único caminho que temos. Sem sombra de dúvida, seremos o time a ser batido e há que continuar melhorando sempre"

A ausência de Messi

"É o momento do melhor jogador do mundo descansar. Uma equipe de futebol é formada por 24 jogadores, e alguns precisam descansar agora".

O futebol nos EUA

"Não conheço muito a Major Soccer League, porque estou imerso em minha própria liga e nas europeias; mas é evidente que o futebol nos Estados Unidos está melhorando. O Galaxy fizeram um grande trabalho defensivo, o que impediu que pudéssemos criar muito mais chances de gol".

Ter Stegen

"Não jogou porque acabou de chegar. Sem quase nenhum treino, não vale a pena nenhum risco".

 

Voltar ao início