fcb.portal.reset.password

Festa pelo gol de pênalti de Xavi, que serviu para o empate com o Nice / FOTO: MIGUEL RUIZ - FCB

Encerrando uma semana de ‘stage’ em Birmingham, o Barça empatou em 1 a 1 com o Nice, no segundo amistoso da pré-temporada. A equipe de Luis Enrique ficou em desvantagem no marcador durante boa parte do jogo, mas teve mais posse de bola e iniciativa que os anfitriões e empatou com Xavi na etapa complementar. Dez dos onze que iniciaram a partida integram o time principal, incluindo Mathieu e Rafinha, enquanto Adama representou o Barça B.

Jogando em um 4-3-3, o FC Barcelona via no começo do embate como o Olympique esperava em seu campo. Mesmo assim, a primeira chance foi da equipe local, aos 6 minutos, quando Ter Stegen fez sua primeira defesa como goleiro culé.

Alguns aspectos trabalhados em St. George s Park, como a saída de bola a partir da defesa ou a pressão na marcação pelos atacantes, puderam ser vistos no primeiro tempo.

Surpresa francesa

Só que foi o Nice que abriu o placar com gol de Cvitanich, convertendo aos 21 minutos pênalti duvidoso sobre o próprio, cometido por Piqué.

O Barça respondeu aos 30 com Sergi Roberto, que tentou concluir de cabeça cruzamento de falta de Iniesta. Jordi Alba teve chance melhor ainda logo em seguida, quando tentou centrar, mas acabou mandando a bola no travessão do arqueiro Hassen. Aos 37, Montoya contundiu o tornozelo direito. Os culés atacavam sobretudo pela direita com o Adama, mas as finalizações não resultavam em gol.

Xavi empata

No intervalo Luis Enrique realizou sete alterações, promovendo a estreia de Rakitic. O Barcelona vinha mais agressivo, e foi Xavi quem deixou Halilovic, Munir e Deulofeu com chances de marcar.

O Nice perdeu Hassen, machucado, aos 17 minutos, e coube a seu substituto, Yohann Cardinale, tentar – sem sucesso – defender pênalti sofrido por Munir e batido por Xavi. Bola num canto, goleiro no outro.

Após o empate, os visitantes davam sinais de contar com mais fôlego do que a agremiação local. Samper, Xavi e Rakitic triangulavam, mas as melhores oportunidades viriam com Sandro, que chutou na trave a oito minutos do final, e Bartra, que pouco antes do término do confronto perdeu grande ocasião.

Voltar ao início