fcb.portal.reset.password
Neymar, Suárez e Messi, celebrando a vitória em Berlim

Neymar, Suárez e Messi, celebrando a vitória em Berlim / MIGUEL RUIZ-FCB

Messi, Neymar e Suárez: o tridente do 122 gols. Ou melhor, o melhor ataque da história. O trio de atacantes do FC Barcelona ofereceu um grande rendimento e seus gols foram fundamentais em uma temporada histórica, na qual o Barça se converteu no único clube da Europa com dois tripletes. 

Amigos dentro e fora de campo, o argentino, o brasileiro e o uruguaio mostraram um entrosamento sensacional na sua primeira temporada juntos. Dos 175 gols marcados pela equipe, somente 53 não tiveram o 'selo' do tridente culé.

Os zagueiros rivais tiveram sérios problemas para tentar neutralizar o atual ataque do Barça, que inclusive superou os 100 gols marcados por Messi, Eto'o e Henry na temporada 2008/09 e também os 118 marcados por Cristiano Ronaldo, Benzema e Higuaín, pelo Real Madrid, na campanha 2011/12. 

Messi, o dono do gol

Autor de 58 dianas (43 na Liga, 10 na Champions e 5 na Copa do Rei), Leo Messi voltou a ser a referência ofensiva do Barça. Com Luis Enrique, o argentino atuou pelo lado direito e com seus dribles voltou a ser o pesadelo das defesas. O primeiro gol na final da Copa do Rei contra o Athletic, driblando quatro rivais e a cavadinha sobre Neuer na semifinal da Liga dos Campeões contra o Bayern de Munique foram dois dos mais especiais que marcou na temporada.  

A evolução de Neymar

Na sua segunda temporada no Barça, Neymar Jr. encontrou os títulos que buscava com a camisa azul-grená. Além disso, mostrou uma excelente evolução na hora de balançar as redes adversárias. Com 39 gols (22 na Liga, 10 na Champions e 7 na Copa do Rei), ficou atrás apenas de Messi. Os gols marcados contra o Atlético de Madrid na Copa e contra o PSG na Liga dos Campeões foram decisivos. 

A adaptação de Suárez

Suárez só estreou no dia 25 de outubro, mas seu excelente trabalho lhe garantiu em tempo recorde uma vaga na posição de centroavante da equipe. Marcou 25 gols (16 na Liga, 7 na Champions e 2 na Copa do Rei) e mostrou uma evolução contínua durante toda a temporada. O golaço contra o Real Madrid na Liga e o da final contra a Juventus foram de extrema importância para o triplete. 

Voltar ao início