fcb.portal.reset.password

Messi disputa uma bola com o goleiro Toño. / FOTO: Miguel Ruiz-FCB.

A dupla letal: Os únicos dois gols da partida foram marcados nos minutos 34 e 36. Messi abriu o placar com uma grande jogada que resultou em uma golaço por cobertura. Logo depois, com o Rayo ainda em estado de 'shock', Neymar definiu o placar com um belo disparo cruzado. A dupla letal do FC Barcelona voltou a funcionar. 

O recorde de Bravo: O chileno Claudio Bravo superou o recorde histórico do Barça como o goleiro que mais tempo ficou sem sofrer gols em um começo da Liga Espanhola. A marca anterior era de 560 minutos, conseguida na temporada 1977/78 pelo basco Pedro María Artola. Bravo finalizou a 7º rodada do atual Campeonato Espanhol invicto. Desse modo, já soma 630 minutos sem sofrer um gol. 

O atrevimento do Rayo: A ambição do modesto Rayo Vallecano é digna de admiração. No ano passado, foi a única equipe nos últimos seis anos que superou o Barça na posse de bola. Desta vez, a equipe comandada por Paco Jémez voltou a enfrentar o Barça de igual para igual. Inclusive chegou a jogar com três zagueiros durante todo o segundo tempo.  

Superioridade Numérica: Apesar da desventagem no placar (0-2), o atrevimento de Jémez não permitiu que o Rayo jogasse a toalha. Inclusive resistiu e criou perigo para Claudio Bravo. Isso até o zagueiro Jorge Morcillo receber o segundo cartão amarelo e ser expulso no minuto 60. A partir daí, o Barça dominou completamente a situação diante de um rival que terminou a partida com 9 jogadores, já que Aqui também foi expulso nos acréscimos.  

Chances desperdiçadas: O Barça deu um total de 18 chutes no estádio de Vallecas, a maioria nos últimos 30 minutos de jogo. Somente dois desses disparos se converteram em gols. As defesas do goleiro Toño somadas a falta de pontaria dos atacantes culés impediram que o resultado fosse mais amplo. 

Voltar ao início