fcb.portal.reset.password
Festa culé no Calderón

Festa culé no Calderón / MIGUEL RUIZ-FCB

No dia 17 de maio de 2014, o FC Barcelona perdia o título espanhol dentro de casa para o Atlético de Madrid. Exatamente um ano depois, o clube catalão deu o troco na mesma moeda. Com um gol de Leo Messi, o Barça derrotou o Atlético por 1 a 0, no estádio Vicente Calderón, em Madrid e conquistou a 23ª Liga Espanhola da sua história, a sétima nos últimos 11 anos.

Domínio sem prêmio

A alta intensidade marcou os primeiro minutos do duelo no Vicente Calderón. Os donos da casa começaram melhor, acuando o Barça e conseguindo três escanteios em apenas 10 minutos. Em um deles, Claudio Bravo teve que fazer um milagre para salvar um remate de Giménez. Mas bastaram dez minutos para que os craques culés recuperassem o seu estilo e, com ele, o domínio da partida. Messi mandou dois avisos em dois minutos para Oblak que, bem posicionado, salvou o Atlético.

O camisa 10 do Barça voltaria a assustar os colchoneros com uma falta da direita, que bateu no travessão e foi para a linha de fundo. O Atlético fazia o que dava e timidamente tentava golpear nos contra-ataques. No último minuto, Alves provou de longe, surpreendendo Oblak, que mandou com dificuldades para escanteio. Mesmo com um total de 80% de posse de bola e o controle do confronto, os craques culé foram para o intervalo com um amargo empate sem gols no placar.

O herói de sempre

O FC Barcelona manteve o domínio na segunda parte e iniciou a etapa final de forma intensa, sufocando o Atlético no seu campo. Os donos da casa assumiram o contra-golpe como sua única arma e abandonaram a posse de bola. Com o empate sem gols entre Espanyol e Real Madrid, em Barcelona, o empate no Vicente Calderón garantia o título ao Barça. Mas a equipe de Luis Enrique queria depender apenas de si mesmo e seguia a sua epopeia contra o ‘muro’ do time de Diego Simeone.

Ainda mais após o gol de Cristiano Ronaldo que botou os merengues na frente no Estádio Cornellà. Então, apareceu o antídoto de sempre, o gênio de todas as horas. O camisa 10, o melhor jogador do mundo, Leo Messi, tabelou com Pedro na área rival, dominou com calma e mandou para o fundo das redes de Oblak, marcando o seu 19º em 18 jogos contra o Atlético, sua maior vítima no campeonato espanhol. Para completar, quebrou um jejum de três anos sem marcar no Vicente Calderón e garantiu mais um título ao Barça.

Festa no Calderón

Após o gol de Messi, no minuto 65, a emoção imperou até o final. O Real Madrid abria uma cômoda vantagem sobre o Espanyol e um gol do Atlético leva a decisão da Liga para o próximo fim de semana. Neymar Jr e Pedro desperdiçaram duas boas ocasiões para definir a partida e os donos da casa venderam cara a derrota.

Mas o Barça resistiu até o final com garra e jogando no ataque. Uma atitude que marcou a trajetória culé na temporada e que serviu para a equipe fazer a festa no estádio madrilenho, celebrando o primeiro do três títulos em jogo na temporada.

Voltar ao início