fcb.portal.reset.password

Os jogadores argentinos comemoram a classificação para a final da Copa. FOTO: FIFA.COM

Leo Messi, durante o jogo. FOTO: FIFA.COM

A Argentina de Mascherano e Messi bateu a Holanda nos pênaltis na Arena Coritnhians na noite de quarta-feira e enfrentará a Alemanha na final da Copa do Mundo de 2014, que ocorre no próximo domingo no Maracanã. Após um empate em 0 a 0 truncado e sem muitas chances de gols tanto no tempo normal quanto na prorrogação, prevaleceu a estrela do goleiro argentino Romero, que defendeu duas penalidades e garantiu a vitória por 4 a 2. Uma classificação histórica, já que a última vez que os sul-americanos disputaram uma final foi há 24 anos, na Copa da Itália, justamente contra os alemães, que os derrotaram por 1 a 0.

Excesso de cautela

No primeiro tempo, as duas seleções foram cautelosas em excesso e, salvo uma cobrança de falta de Messi, nenhuma das metas foi devidamente ameaçada. Muito bem armadas, sobretudo na parte defensiva, as equipes jogavam de igual para igual, mas sem produzir lances de perigo. A alviceleste, porém, demonstrava uma ligeira superioridade, graças ao toque de bola de seu camisa 10, além de Enzo Pérez e Lucas Biglia. O outro culé em campo, Mascherano, tinha atuação memorável, onipresente à frente da defesa e na intermediária argentina. O ‘Jefecito’ foi um dos protagonistas da etapa inicial também pelo susto que deu, caindo tonto ao solo após receber golpe na cabeça. Mas logo voltou ao jogo, ovacionado pela torcida azul e branca, que novamente era maioria no Itaquerão.

Mais do mesmo

Sob chuva, a partida seguiu no mesmo ritmo no segundo tempo, com a Argentina sendo discretamente melhor e tendo oportunidades de abrir o placar com Lavezzi e Higuaín. Marcado por De Jong e depois Classie, Messi apareceu pouco. A Holanda de Van Gaal privilegiava a posse de bola, mas tinha dificuldades em chegar ao gol de Romero.

Os argentinos quase marcaram aos 30 minutos, quando Higuaín concluiu dentro da área. Já nos descontos, Mascherano evitou um chute de Robben que poderia ter selado a vitória da seleção laranja.

O fôlego de Mascherano

O zagueiro e volante culé, aliás, foi um também destaque na prorrogação, quando a maioria dos jogadores já dava amostras de cansaço. Na primeira parte, Palacio e Agüero tiveram oportunidades pelo lado argentino, enquanto Robben respondeu pelos holandeses.

Nos últimos 15 minutos, Palacio tentou outra vez em cabeceio defendido por Cillesen. A Holanda ainda forçou um pouco, mas parecia conformada em decidir a classificação nos pênaltis.

Romero salva

Ao defender as duas primeiras cobranças da equipe europeia, executadas por Vlaar e Sneijder, Romero foi o herói da noite. Messi, Garay, Agüero e Rodríguez converteram e, para desespero da maioria dos brasileiros presentes no estádio paulistano, que torcia pela Holanda, a Argentina enfrentará a Alemanha pela terceira vez em uma final de mundial (além de 1990, o confronto decidiu a Copa de 1986, no México, com vitória argentina).

Voltar ao início