fcb.portal.reset.password
Fotomontagem com os escudos do Apoel e do Barça para o duelo da Champions League.

O Barça tentará conseguir a sua 1ª vitória no Chipre nesta noite / FOTO: Fotomonategm FCB

O FC Barcelona regressa ao Chipre após 17 anos. Na sua última visita, o Barça era treinado pelo saudoso Bobby Robson e contava com o atual técnico Luis Enrique no ataque da equipe. Confira as curiosidades de maior destaque dessa partida contra o Apoel, válida pela 5ª rodada da fase de grupos da Champions League 2014/15. 

  • Esta será o terceira partida do FC Barcelona no Chipre, onde nunca venceu. Na Recopa da UEFA 1982/83 empataram em 1 a 1 com Apollon Limassol FC e na temporada 1996/97, também pela Recopa, empatou sem gols com o AEK Larnaca.
  • O atual técnico do Barça, Luis Enrique, participou como jogador da eliminatória contra AEK Larnaca como jugador. A equipe culé ficou com a vaga graças ao 2 a 0 do jogo de ida, no Camp Nou.
  • Ivan Rakitic, que marcou no último duelo do Barça (contra o Sevilla), já sabe o que é marcar um gol contra o Apoel. Foi na sua etapa no Schalke 04 e seu gol contribuiu na vitória do time alemão por 4 a 1, na Copa da UEFA 2008/09.
  • O Apoel perdeu por 1 a 0 no jogo de ida, no Camp Nou. Com este resultado, acumulou mais uma derrota contra equipes da Espanha, as quais nunca conseguiu vencer. Em seis jogos até o momento, quatro empates e duas derrotas. 
  • O Barça conseguiu a classificação para as oitavas-de-final da Liga dos Campeões na última rodada graças a vitória por 2 a 0 sobre o Ajax, em Amsterdã. Agora, o Barça tem dois jogos para conseguir tirar o primeiro lugar do Grupo F do PSG, que lidera com um ponto de vantagem sobre o Barça. 
  • O Apoel não venceu nenhum do Grupo F da atual Champions League. É o último colocado, com apenas um ponto. 
  • Messi superou o recorde de Zarra e se converteu no maior artilheiro da Liga Espanhola, com 253 gols. Hoje, o camisa 10 do Barça pode se tornar também o maior goleador da Champions League. Até agora soma 71, o mesmo número do recordista Raúl González. 
Voltar ao início