fcb.portal.reset.password

Götze marcou o gol da vitória no segundo tempo da prorrogação / FOTO: FIFA.COM

A Alemanha é a nova campeã do mundo. Um gol de Mario Götze aos 8 minutos do segundo tempo da prorrogação definiu a emocionante final contra a Argentina de Mascherano e Messi, disputada neste domingo no Maracanã. Os alemães são os novos tetracampeões mundiais, ao lado da Itália, enquanto a Argentina continua esperando um novo título. O segundo e último título da alviceleste, que teve os dois culés como titulares durante os 120 minutos, foi conquistado no Mundial do México em 1986.

Perto do gol

O jogo começou como se esperava, com a Alemanha mantendo a posse de bola e a Argentina esperando em seu campo, tramando perigosos contragolpes. A estratégia quase deu frutos em pelo menos duas ocasiões, primeiramente quando Kroos falhou e Higuaín desperdiçou, cara a cara com Neuer. Depois, em grande passe de Messi a Lavezzi que terminou em gol corretamente anulado do ex-centroavante do Real Madrid.

A Argentina se mantinha compacta na defesa e ameaçadora no ataque. Messi e Lavezzi infernizavam a zaga germânica, que sofreu com os cartões amarelos aplicados a Schweinsteiger e Höwedes e a lesão de Kramer, cuja presença no time titular, no lugar de Khedir - contundido no aquecimento -, já havia sido surpresa de última hora.

Foi Höwedes, aliás, quem teve a melhor oportunidade da Alemanha na primeira etapa. Pouco antes do intervalo, lateral-esquerdo Höwedes cabeceou uma bola na trave após cobrança de escanteio.

Chance de Messi

A Argentina continuou criando ofensivamente no início do segundo tempo. Messi recebeu bola na entrada da área, mas seu chute cruzado passou apenas perto do gol de Neuer. Após outra chance perdida por Higuaín, o ritmo da partida ficou mais intenso, mas os lances de ataque diminuíram. As duas equipes eram bastante cautelosas, e o placar permaneceu inalterado até o final do tempo normal.

Götze decide

Os alemães foram melhores na prorrogação, mas os argentinos também puderam decidir a Copa. As chances mais claras de gol foram de Schürrle pelos europeus e Rodrigo Palacio pelos sul-americanos. Até que surgiu Götze, que havia entrado ao longo do jogo, matando no peito cruzamento de Schürrle vindo da esquerda e fuzilando Romero de primeira. Um golaço que valeu o tetracampeonato.

 

Voltar ao início