fcb.portal.reset.password

Neymar fez a parte dele marcando o gol decisivo na disputa por pênaltis. / FOTO: FIFA.com

Mineirão lotado e a torcida jogando junto. Uma combinação explosiva que só podia terminar com uma vitória tranquila do Brasil de Neymar e Dani Alves e a vaga nas quartas-de-final da Copa do Mundo da FIFA 2014. Mas não foi assim. A equipe do técnico Felipão foi engolida pela garra chilena e sofreu muito para assegurar a classificação., algo só conseguido nas loteria dos pênaltis, após um empate em 1 a 1 no tempo normal e na prorrogação.

David Luiz abre o placar…

A pressão brasileira foi intensa desde o apito inicial. Bem posicionado na defesa, a equipe do técnico Felipão impedia as investidas chilenas com facilidade e chegava bem ao ataque, principalmente com Hulk, pela esquerda. E foi por ali que saiu o gol.

No minuto 18, escanteio para o Brasil. Neymar Jr levanta a bola na área, Thiago Silva desvia, o chileno Gonzalo Jara toca na bola, ela bate em Davi Luiz e vai para o fundo das redes de Claudio Bravo. Brasil 1 a 0. Era o prêmio para o time mais produtivo em campo naquele momento.

…Alexis empata

Após o gol, o domínio brasileiro era completo. Neymar comandava os lances ofensivos mas o Brasil não conseguia aproveitar as ocasiões criadas. O Chile era o dono da bola, mas sem contundência. Mas quando tudo parecia controlado pelo time do Felipão veio o castigo.

No minuto 32, Marcelo cobrou um lateral pelo lado esquerdo da defesa nos pés de Hulk. O atacante brasileiro devolveu mal. Vargas roubou a bola e tocou na área para Alexis Sánchez. O atacante do Barça bateu cruzado e deixou tudo igual.

Intensidade e nervosismo

Ciente de que uma falha custaria a eliminação do Mundial, o Brasil iniciou o segundo tempo mostrando nervosismo, apesar da intensidade. Hulk até chegou a marcar um gol no minuto 55, mas o árbitro anulou alegando mão na bola. A tensão aumentava. Luis Gustavo recebeu o segundo amarelo e está fora do próximo jogo.

Felipão tirou Fred e botou Jô para tentar mudar o panorama, mas o Chile fazia o que queria em campo. A prova disso foi a bela jogada direita, com direito a ‘passe da morte’. Bomba chilena e milagre de Julio Cesar. O Brasil melhorou no final, mas Claudio Bravo impediu o gol canarinho com boas defesas.

Julio César, MVP

O placar seguiu inalterado durante a prorrogação e a decisão foi para os pênaltis. Ali, brilhou a estrela do goleiro Julio Cesar. Ele garantiu um milagre no segundo tempo, parou duas penalidades dos chilenos e contou com a sorte na cobrança de Jara, que bateu na trave e fez o Mineirão explodir de alegria.

Uma atuação que garantiu à ele o prêmio de melhor jogador da partida (MVP) e serviu para apagar as críticas que sofreu por culpa da eliminação brasileira na África do Sul em 2010. Nada como um dia após o outro.

Voltar ao início