fcb.portal.reset.password
Tata Martino dá instruções no treino desta sexta-feira.

Tata Martino dá instruções no treino desta sexta-feira. / FOTO: MIGUEL RUIZ-FCB

Gerardo Martino chega à última rodada da Liga Espanhola com toda a vontade de ser campeão. "Desejo com toda a minha alma ganhar essa Liga", declarou na coletiva desta sexta-feira, na coletiva realizada na Cidade Esportiva Joan Gamper. O treinador do FC Barcelona afirmou que os seus jogadores merecem mais do que ninguém. "Tiveram um ano muito difícil. Merecem pela dedicação, luta e valentia", acrescentou. 

Nesse contexto, Martino elogio os jogadores que fizeram um esforço final para estar disponíveis contra o Atlético de Madrid, como por exemplo, Alba, Piqué e Neymar que receberam alta médica nesta sexta-feira. "Provavelmente nem todos os jogadores estarão nas melhores condições, mas também não terão que disputar seis jogos, será apenas um", explicou. "Destaco a vontade que tiveram para estar presentes, o esforço feito e a valentia que demonstraram sabendo que uma Copa do Mundo se aproxima", completou.

Times com o estilo do Atlético se sentem incômodos se precisam virar um placar desfavorável

A possível presença desses três jogadores torna ainda mais difícil a escolha do time titular. Tata Martino reconheceu que deverá ser "injusto" com alguns dos seus jogadores. "Não teve nenhuma partida onde não tive a sensação de ser injusto com alguém na hora da escalação", confessou. 

Sobre a decisão deste sábado, o treinador culé lembrou da importância de marcar primeiro, algo que já insistiu nos duelos anteriores contra o Atlético. "Os times com o estilo do Atlético se sentem incômodos quando necessitam virar um placar desfarovável", comentou. Vale lembrar que nos cinco duelo entre ambas as equipes na temporada, o FC Barcelona não conseguiu sair na frente em nenhum deles. 

Há um estado emocional diferente para essa partida

Apesar disso, Tata Martino desdenhou esse retrospecto desfavorável para o FC Barcelona. "Os antecedentes não valem. Há um estado emocional diferente para essa partida", garantiu. O treinador culé também ressaltou essa final diferente a que o Barça está acostumado. "Seria o primeiro título jogando de forma normal, com sofrimento e luta. Isso é algo mais parecido ao futebol normal, diferente do que fez essa equipe nos últimos anos, algo digno de extraterrestres", concluiu. 

Voltar ao início