fcb.portal.reset.password
Martino, durante a coletiva.

Martino, durante a coletiva / FOTO: MIGUEL RUIZ-FCB

Gerardo Martino confessou na coletiva desta sexta-feira que sempre está “preocupado” antes de uma partida. Seja qual for. E contra o Valladolid, não será diferente. “A partida me preocupa pela situação do rival. Está lutando na parte baixa da tabela, mas sempre são fortes quando jogam em casa. Ali, venceram quatro jogos e só perderam dois”.

O treinador FC Barcelona lamentou o pouco tempo que teve para preparar o duelo deste sábado, às 16h (12h de Brasília), no estádio José Zorrilla, em Valladolid. “Foi uma semana curta. A maioria dos jogadores voltaram na quinta-feira, outros nesta sexta-feira. Tivemos apenas um dia para conversar sobre a partida, mas isso não pode servir como desculpa. Temos que nos concentrar, ter uma boa atuação e ganhar”, afirmou. Tivemos pouco tempo para preparar essa partida, mas isso não pode servir como desculpa

Neste sentido, o técnico culé explicou a ausência do lateral Jordi Alba na lista de convocados. “Alba sentia dores antes da partida contra o Almería. Teve pouco tempo de recuperação e por isso ficou na reserva. Depois disso, jogou 90 minutos intensos com a Seleção Espanhola. Agora, teremos quatro jogos em 10 dias e não nos interessa sobrecarregar o jogador. Seria pouco prudente”.

Neymar Jr., Alves e Puyol

Tata Martino também se referiu a Alves e Neymar Jr, que só regressaram nesta sexta-feira do compromisso que tiveram com a Seleção Brasileira. “Alves jogou 33 minutos e Neymar Jr, 90. Quero falar com eles e saber como voltaram do amistoso”, assegurou.

O treinador do Barça também comentou sobre a decisão de Carles Puyol e deixar o clube no final da temporada. “É um jogador que poucas vezes surge numa instituição. É um futebolista insubstituível, mas penso que não sou a pessoa mais indicada para falar dele”. Martino também renconheceu que “agora o clube tem a necessidade de contratar um zagueiro”.

O mal-estar de Messi

Perguntado sobre o mal-estar sofrido por Leo Messi no amistoso com a Seleção Argentina, Tata Martino declarou: “Não é algo normal, mas não há motivos para preocupação. Ele consultou especialistas e ainda não conseguiu uma solução”. De qualquer modo, o técnico deixou claro que esta situação não impede que o jogador atue ao seu nível máximo.

Voltar ao início