fcb.portal.reset.password

Gol de Alves ao Manchester. FOTO: MIGUEL RUIZ-FCB.

Foi uma noite histórica na Inglaterra. O FC Barcelona conquistou o Etihad Stadium e conseguiu a sua primeira vitória num duelo da Champions League disputado em Manchester. O Barça não tomou conhecimento do City, venceu por 2 a 0 – com gols de Messi e Daniel Alves - e deu um passo de gigante rumo às quartas-de-final da principal competição de clubes do planeta. A partida também marcou o primeiro duelo oficial entre ambas as equipes.

Um jogo que serviu para Messi marcar o primeiro gol dele numa eliminatória de Champions disputada em terras inglesas. E que definitivamente mostrou que a melhor versão do Barça é uma realidade. A equipe seguiu ao pé da letra as recomedações de Tata Martino, controlou a ações do jogo, tirou a posse de bola do rival e conseguiu uma vantagem contudente para a partida de volta, que será disputada no próximo dia 12 de março, no Camp Nou.

Controle sem contundência

O Barça se sentiu em casa nos primeiros 15 minutos. O toque de bola da equipe funcionou como nunca e a equipe culé botou todo o City na defesa. Apesar da fluidez na troca de passes e de jogar praticamente com todos seus componentes no ataque (menos Valdés), o Barça encontrou dificuldades para perfurar a organizada defesa inglesa.

Por outro lado, o City viu que o domínio culé não era tão contundente e aos poucos começou a oferecer perigo nos contra-ataques. A torcida ‘citizen’ se empolgou e começou a apoiar a equipe ao melhor estilo inglês. Com isso, Negredo em duas oportunidades e Silva levaram perigo ao gol de Valdés.

Equilíbrio completo

Quando o City começou a controlar as ações ofensivas e a tomar a iniciativa do duelo, o Barça reapareceu sem avisar. Os minutos incômodos do time catalão se dissiparam e o jogo culé voltou a funcionar. Iniesta tabelou com Messi, invadiu a área, driblou dois zagueiros, mas foi travado na hora do chute. A partir disso, o equilibrio marcou o confronto.

O City tentava com Silva e Negredo, sempre apoiados pela potência de Yaya Touré. Já o Barça atacava com Alves e Alexis pela direita e contava com as arrancadas de Messi pelo centro, sem muito êxito. Mesmo com toda a movimentação e intensidade das duas equipes, o placar não se alterou no primeiro tempo.

Pênalti e expulsão de Demichelis

O equilibrio entre ambas as equipes permaneceu no início da etapa final. Mas aí veio o lance capital da partida. No minuto 52, Iniesta pegou uma bola no meio e lançou para Messi. O argentino avançou com velocidade e antes de disparar sofreu uma dura falta por trás do seu compatriota Demichelis. O árbitro marcou um pênalti polémico e deu o cartão vermelho direto corretamente para o zagueiro argentino. O City pedia uma falta fora da área, mas o juiz não voltou atrás na decisão.

Messi põe fim na maldição

Polêmicas à parte, Messi não pensou duas vezes e pegou a bola para bater o pênalti. Ajeitou com carinho, olhou o goleiro, correu e, com tranquilidade, deu um toque sutil no meio do gol. Foi a primeira vez que ele marcou numa partida eliminatória de Champions disputada na Inglaterra, botando fim numa ‘maldição’ que lhe perseguia há anos. Além disso, foi o 7º gol do argentino na atual edição da Liga dos Campeões e o 25º dele na temporada.

Alves silencia o Etihad

Com um homem a menos e a desvantagem no placar, o City sofreu uma pane durante alguns minutos. O Barça botou o rival na roda, criou diversas oportunidades, mas a bola insistia em não entrar. Um exemplo disso foi uma tabela de Daniel Alves na direita na que ele saiu na cara do gol, mas mandou para fora. O City tentava entrar no jogo mais com o coração do que com a cabeça e o Barça resistia.

E o esforço catalão ainda teve tempo para ser recompensado. No minuto 89, repeteco da jogada de Alves. Desta vez a tabela na direita foi com Neymar e ao sair novamente na cara do gol, definiu com precisão por baixo das pernas do goleiro Hart e silenciou o Etihad Stadium. Gol de ouro do brasileiro e um triunfo histórico em Manchester: 2 a 0.

Voltar ao início