fcb.portal.reset.password
Piqué, autor del gol, sai cabisbaixo do Ciutat de València

Piqué, autor del gol, sai cabisbaixo do Ciutat de València / FOTO: MIGUEL RUIZ-FCB

O Barça fez o suficiente para conseguir uma vitória cômoda no estádio Ciutat de València. Mas a falta de sorte na finalizações e a blindagem defensiva do Levante não permitiu ao time de Tata Martino passar de um empate em 1 a 1 neste domingo que deixou a Liga Espanhola completamente aberta. Apesar de tudo, o FC Barcelonaacabou beneficiado pelo empate do Atlético de Madrid contra o Sevilha no Calderón e segue líder do campeonato pela 58ª rodada consecutiva, um recorde que segue aumentando a cada partida. 

Um Levante blindado

Ainda com a derrota por 7 a 0 do primeiro turno na memória, o técnico Joaquim Caparrós decidiu montar uma blindagem defensiva contra o FC Barcelona. Valia tudo, menos sofrer outra goleada como a da estreia na Liga Espanhola. Na etapa inicial a estratégia funcionou à perfeição. Apesar do Levante assistir o Barça dominar com uma posse de bola que em nenhum momento baixava dos 70%, a fortaleza na defesa não oferecia os espaços que o Barça necessitava para golpear com contundência.

O plano de Caparrós ganhou contornos heróicos quando o Levante abriu o placar. O zagueiro Vyntras cabeceou um escanteio da esquerda para o fundo do gol de Valdés sem nenhuma oposição. Mas o Barça não se abalou. Manteve o estilo, insistiu e a perseverança surtiu efeito. Xavi cobrou escanteio pela esquerda e Piqué empatou de cabeça. O Barça dava o troco na mesma moeda. Após o gol, a dinâmica do jogo seguiu com o Barça no ataque e todo o Levante atrás. Mas o placar se manteve inalterado até o intervalo.

Pressão sem resultado

No segundo tempo o Levante decidiu abandonar definitivamente o ataque. Estruturou uma barreira defensiva com dez jogadores e nos primeiros 30 minutos da etapa final fez o que pôde para segurar um Barça que pressionava de forma asfixiante. O time culé golpeava com Messi, Xavi, Pedro, mas o rival conseguia se salvar através das defesas do goleiro Keylor Navas ou bloqueando as finalizações culés com alguns dos seus onipresentes zagueiros.

Tata Martino buscou as alternativas que tinha. Tentou dar um novo gás na meia culé botando Sergi Roberto no lugar de Cesc e fez duas mudanças ofensivas, com Tello substituindo Pedro e Dongou entrando no lugar de Xavi. Mas nem toda a pressão do mundo foi capaz de alterar o placar e o FC Barcelona acabou perdendo dois pontos importantes em Valência. 


Voltar ao início