Messi, celebrando um dos gols contra o Milan / FOTO: MIGUEL RUIZ - FCB

Leo Messi foi o grande protagonista no duelo europeu contra o Milan, na última quarta-feira. Marcou dois gols na vitória culé por 3 a 1, que asseguraram a classificação do Barça às oitavas-de-final da Champions League. Após a partida, o astro argentino ofereceu uma entrevista ao site UEFA.COM, onde comentou sobre o seu atual estado de forma. “Foram duas lesões seguidas num espaço curto de tempo. Mas estou tranquilo e aos poucos vou melhorando”.

O atacante do Barça também deixou claro que, para ele, a melhor maneira de se recuperar é estando dentro de campo. “Disputar uma partida após a outra serve para que eu volte a ter o ritmo de antes, que volte a ter a mesma velocidade que antes da lesão”.

“O Barça foi superior”

Com relação ao duelo contra o Milan, o craque argentino foi claro e objetivo: “Controlamos a partida desde o começo e fomos os protagonistas, como sempre. Tivemos a má sorte de sofrer um gol antes do intervalo e isso complicou um pouco as coisas, mas no geral fomos superiores”.

A estrela do FC Barcelona também falou sobre o pênalti que cobrou para abrir o placar contra os italianos. “Depende do momento, eu planejo onde chutar. Já tinha cobrado vários pênaltis contra esse goleiro (Abbiati) e por isso tinha dúvidas. Ele é alto e chega bem na bola tanto por baixo como por cima. Então, decidi assegurar o gol chutando forte no meio”.

O carrasco do Milan

Leo Messi voltou a mostrar que marcar contra o Milan é uma rotina para ele. Entre os rivais europeus do Barça, o clube ‘rossonero’ é a vítima preferida do argentino. Com os dois gols da última quarta-feira, Messi chegou a um total de oito contra a equipe italiana em confrontos pela Champions League.

Além disso, a estrela culé soma um total de seis gols em quatro partidas da atual edição da Liga dos Campeões, atrás somente de Ibrahimovic (7) e Cristiano Ronaldo (8). Messi também já conta com 65 gols na história da melhor competição de clubes do planeta e está a somente seis do recorde de Raúl González (71).