fcb.portal.reset.password
Gerardo Martino, durante a coletiva.

Gerardo Martino, durante a coletiva. FOTO: MIGUEL RUIZ- FCB

Gerardo Martino compareceu nesta sexta-feira diante dos meios de comunicação para falar sobre o duelo contra a Real Sociedad, neste sábado, às 20h (16h de Brasília), no estádio Anoeta, em San Sebastián. O técnico argentino destacou que será "uma partida muito difícil" e que o confronto "não terá nada a ver com o duelo da Copa do Rei. Isso é a Liga". Além disso, Tata Martino explicou que o primordial agora é "seguir crescendo como equipe". 

Controle da partida

O treinador argentino garante saber o método para que o Barça tenha um melhor controle das partidas. "Quando jogam três atacantes é mais difícil ter o controle, já com um meia a mais em campo fica mais fácil e corremos menos". Martino deixou claro que a partir de agora haverá menos rotações, o que não siginifica que não faça mais mudanças na equipe. "Para algumas partidas fizemos nove mudanças na equipe e agora é provável que não faremos tantas. Sempre haverá mudanças para manter a 'tensão' dentro do grupo e para que todos se sintam importantes". 

21 jogos possíveis

Chegam os últimos três meses de competição e o Barça já sabe que, se quer disputar todos os títulos, terá ainda 21 partidas pela frente. "Temos que nos concentrar na Liga. Se tudo vai bem, faltam 21 jogos. Desejamos jogar todos eles", explicou. "Neste sábado seria pouco prudente ter uma má atuação em San Sebastián. Vamos com a intenção de realizar uma boa partida e ganhar". 

Tranquilidade com Neymar

Tata Martino também comentou a situação de Neymar Jr. "Tudo o que está acontecendo com ele não é normal, mas pelos minutos que jogou e pelo seu desempenho dentro de campo, está bem", declarou. Tata Martino também aproveitou para comentar a evolução do Barça desde a primeira partida da temporada. "Tivemos muita intensidade, incomodamos o rival na hora de pressionar. Conseguimos criar mais oportunidades de gol, mas não melhoramos as finalizações. Também temos uma boa segurança na defesa, concendendo poucos gols aos rivais", analisou. 


Voltar ao início