fcb.portal.reset.password

Messi contra o Atlético. FOTO: MIGUEL RUIZ-FCB.

O dia ‘D’ é hoje, 16 de maio de 2014. O calendário e o destino quiseram que os dois candidatos à Liga Espanhola decidissem o titulo numa partida única, neste sábado, às 18h (13h de Brasília) no Camp Nou. O FC Barcelona necessita uma vitória para conquistar o seu 23º troféu dessa competição. Já o Atlético entra em campo com a vantagem de um empate para quebrar um jejum de 18 anos sem vencer o Campeonato Espanhol. A Liga mais louca e emocionante dos últimos anos chega ao seu fim com uma partida histórica.

O fator Camp Nou

A vantagem do FC Barcelona será a de jogar no seu estádio, diante da sua torcida. O Camp Nou voltará a se vestir de gala e rugir como nunca. Antes da partida, o torcedor fará a sua parte com um mosaico que cobrirá toda a arquibancada. Será uma tarde mágica, como as famosas dos anos 90 que acabaram com três ligas conquistadas de forma consecutiva no último minuto.

Por tudo isso, o duelo deste sábado se converteu numa autêntica final. Após dias de intenso trabalho, Gerard Piqué, Jordi Alba e Neymar Jr receberam alta médica e se encontram entre os convocados para a grande decisão. Estarão todos, com exceção do goleiro Víctor Valdés, que segue com a recuperação da sua lesão na Alemanha.

Diante do Barça estará o Atlético de Madrid, a única equipe que os jogadores culés não conseguiram derrotar nesta temporada. Em cinco jogos, quatro empates e uma vitória colchonera. O Barça terá a ocasião perfeita para obter o seu primeiro triunfo. O futebol de ataque contra o jogo defensivo. Um choque de estilos que dessa vez terá a oportunidade de decidir quem o campeão espanhol.

Duas partidas históricas

O Atlético de Madrid tem pela frente as duas partidas consecutivas mais importantes da sua história. Hoje, decide a Liga no Camp Nou e no próximo sábado - após 40 anos - voltará a disputar uma final da Liga dos Campeões da Europa. O time do técnico Diego ‘Cholo’ Simeone deixou escapar o título nas duas últimas rodadas e agora terá a difícil missão de silenciar 100 mil pessoas no estádio culé.

Ninguém duvida que Simeone sairá com tudo na partida deste sábado. Ele mesmo revelou que a sua principal ‘arma’ ofensiva, Diego Costa (que estava lesionado), será titular num duelo definitivamente não recomendável para cardíacos.


Voltar ao início