Evaristo de Macedo no Camp Nou, em 2007. FOTO: ARQUIVO FCB.

Evaristo de Macedo jogou no FC Barcelona entre 1957 e 1962 e mais de 50 anos depois, ainda é lembrado na Catalunha como um dos melhores jogadores que já vestiram a camisa azul-grená. Um ídolo histórico que conseguiu essa condição a base de muitos gols e títulos, entre os quais incluem duas Ligas Espanholas e duas Copa de Feiras (antiga Copa da UEFA).

Com 178 gols em 226 jogos é até hoje o maior artilheiro brasileiro da história do clube e um dos poucos jogadores que saíram do Barça diretamente ao Real Madrid e que seguiu sendo ídolo na Catalunha. É uma autoridade quando o assunto é o maior clássico do futebol espanhol. Com a camisa culé, marcou cinco gols em sete jogos contra os merengues na Liga Espanhola.

Na sua melhor atuação, anotou três gols (hat-trick) na inesquecível goleada culé por 4 a 0 sobre o eterno rival, num jogo válido pela 7ª rodada da Liga Espanhola 1958/59. A poucos dias de um novo Barça vs Madrid, Evaristo ofereceu uma exclusiva ao site ‘fcbarcelona.pt’. Confira!

Pergunta - Quando se fala em Barça vs Madrid, qual a lembrança que vem à tua cabeça?

Que se trata de um dos maiores clássicos do futebol mundial e que eu tive o privilégio de poder jogar. Uma partida que vai muito mais além do âmbito esportivo e que tem um grande peso político. Um rivalidade única no futebol mundial.

Acredita que nesse aspecto é mais fácil jogar o clássico hoje ou na tua época?

Hoje, acredito que é um pouco mais tranquilo nesse sentido, mas ainda assim a rivalidade impressiona qualquer um. Além de ser um clássico que sempre conta com os melhores jogadores do futebol mundial da atualidade.

Pelo momento atual dos dois clubes, vê algum favorito para o clássico do próximo sábado?

Nesse clássico é muito complicado indicar um favorito. São duas grandes equipes, cada uma com seu estilo próprio, mas ambas repletas de craques decisivos. O que posso assegurar é que o fator campo é algo importante nessa partida. Por isso, acredito que o Barça leva uma ligeira vantagem para o duelo do sábado.

Por falar em estilo, qual você prefere: A ‘pegada’ do Real Madrid ou o ‘tiki-taka’ do Barça?

Os dois são competitivos. O Real Madrid usa a força, a velocidade e pode marcar um gol com três toques. O Barça já prefere fazer com mais calma, ter o controle da bola e o domínio do jogo. Ambos os estilos dão resultados, mas particularmente prefiro a filosofia de jogo do Barça, algo que já existia desde a minha época no clube.

Como analisa a chegada do Neymar ao clube?

Um clube popular como o Barcelona tem que ter ídolos e por isso penso que a contratação do Neymar foi algo positivo nesse sentido. Aos poucos ele vai ganhar espaço e conseguir ser uma estrela ali, até porque agora o Barça já conta com muitos ídolos consagrados. Com o tempo, será a vez dele.

O Daniel Alves é o brasileiro que mais ganhou títulos na história do Barça. Você foi o responsável por profissionalizar o jogador na sua etapa como treinador do Bahia. Esperava que ele chegasse tão longe?

Sim. Na época o Bahia necessitava um lateral, queria buscar em outro lugar e eu não quis. Apostei por ele e ele rendeu mais do que eu esperava. Sempre foi um jogador inteligente e muito ofensivo. Já com relação aos títulos ele também contou com a sorte de chegar à um clube que já tinha uma equipe formada e com atletas que jogavam junto há muito tempo. Mas teve o o mérito dele de saber se adaptar ao grupo e a verdade é que não me surpreende o sucesso dele no Barça.

Carrasco do Real Madrid

Evaristo de Macedo também ficou marcado na história culé por ser o autor do gol que eliminou o Real Madrid pela primeira vez da Copa da Europa (atual Champions League).

O clube madrilenho tinha vencido as cinco primeiras edições da competição e após um empate em 2 a 2 no Bernabéu, o Barça venceu o Real Madrid por 2 a 1 no Camp Nou, com um gol histórico de ‘peixinho’ de Evaristo. A partida foi válida pelas oitavas-de-final da Copa da Europa 1960/61 e confira como foi esse histórico momento através das palavras do próprio protagonista. 

Um relação próxima com a Espanha

Evaristo de Macedo viveu durante uma década na Espanha, ao lado da sua esposa Norma, companheira há 56 anos. Ficou seis anos na Catalunha onde ganhou o 'status' de melhor jogador brasileiro da história do clube e logo se transferiu ao Real Madrid.

Jogou com os maiores nomes do futebol mundial da época e sua relação com a Espanha é tão intensa que até hoje, sempre que pode, busca visitar o país onde encantou a todos com seu futebol mágico. "Gosto de visitar Barcelona normalmente no mês de maio. A cidade é maravilhosa e a temperatura nessa época é adorável", comentou.

Outro exemplo da sua proximidade com o país ibérico é que foi pai duas vezes no seu período na Espanha. Seu primeiro filho, Evaristo de Macedo Neto, nasceu durante a sua etapa no Barça.

E em Madrid nasceu o seu segundo herdeiro. "Tenho muitas lembranças boas do meu período na Espanha. O nascimento dos meus filhos são algumas delas, mas também fico feliz por ser reconhecido e por ter recebido muitas homenagens do Barça durante todos esses anos. Significa que fiz um bom trabalho por lá".