fcb.portal.reset.password
Decepção de Xavi no estádio Vicente Calderón.

Decepção de Xavi no estádio Vicente Calderón. FOTO: MIGUEL RUIZ-FCB.

Falta de criatividade ofensiva, ausência de precisão nas poucas ocasiões de gol criadas e 18 minutos para esquecer. Esse foram os pontos fundamentais na derrota do FC Barcelona por 1 a 0 diante do Atlético, no estádio Vicente Calderón, em Madrid, que custou a eliminação da equipe de Tata Martino na Champions League e a oportunidade do clube catalão de disputar pela sétima vez consecutiva as semifinais da principal competição de clubes do planeta.

18 minutos desastrosos

O FC Barcelona praticamente não existiu defensivamente nos primeiros 18 minutos da partida. Nesse intervalo de tempo, o Atlético de Madrid marcou um gol (Koke, no minuto 5), mandou três bolas na trave, duas delas com David Villa e garantiu a vaga nas semifinais da Champions League.

Pela intensidade e esforço apresentado nos minutos iniciais, dava a impressão que era o Atlético quem tinha a obrigação de marcar. A equipe de Diego Simeone mostrou uma vez mais a organização e a solidez defensiva que lhe transformou na grande sensação da temporada. Atordoado defensivamente e sem criatividade no ataque, o Barça demorou quase meia hora para voltar a ser o clube de sempre.

Mas quando conseguiu, botou o rival na defesa, teve mais de 70% de posse de bola e obrigou o adversário a utilizar a mesma estratégia ultra-defensiva dos quatro confrontos anteriores entre ambas as equipes na temporada. Apesar disso, o time de Tata Martino chegou ao intervalo em desvantagem no placar.

Força sem eficiência

O Barça iniciou a etapa final diferente do primeiro tempo. Sufocou o rival e dominou completamente a posse de bola e as ações ofensivas. Logo no minuto 48, Neymar Jr ficou na cara do gol, mas desperdiçou uma excelente oportunidade para empatar a partida. O craque brasileiro tentou driblar o goleiro rival, mas Courtois conseguiu se esticar e tirar a bola do pé do atacante brasileiro.

O elenco culé, como sempre, não desistiu. Insistiu com todos os recursos, mas era incapaz de superar a blindagem defensiva colchonera. Além disso, Iniesta e Messi – as grandes esperanças culés para o Calderón – não apareceram. Iniesta acabou substituído por Pedro nos minutos finais da partida. O tempo passava e o gol não saía. Xavi e Neymar voltaram a ter a chance do empate, mas não tinha jeito. A bola não entrava.

O goleiro José Manuel Pinto também se destacou ao evitar dois gols do Atlético que teriam eliminado o Barça antes do tempo. Todo o esforço culé desta vez não foi recompensado. A equipe teve que se resignar com a eliminação da Champions League e terá que levantar a cabeça rapidamente para seguir na luta pelos títulos da Copa do Rei e da Liga Espanhola. Já o Atlético de Madrid segue fazendo história no futebol europeu e já está entre os quatro melhores clubes do Velho Continente.

Voltar ao início