Dani Alves, durante a coletiva. FOTO: MIGUEL RUIZ-FCB.

Daniel Alves foi o jogador do Barça escolhido nesta terça-feira para a entrevista coletiva prévia ao duelo contra o Milan, no estádio Camp Nou, em Barcelona. O lateral brasileiro concentrou as suas declarações no estilo de jogo do Barça e esbanjou ironia para falar sobre o tema. “Não queremos que os outros se cansem do nosso jogo. Antes a imprensa nos criticava por ser monótonos, agora que oferecemos variações no nosso estilo de jogo para não ser monótonos, também criticam”, declarou.

Quando o Barça já não tenha esse elenco, todos sentirão saudades

O jogador culé afirmou que não lhe surpreende os debates criados pelos meios de comunicação. “Para mim não é nenhuma surpresa os constantes debates criados pela imprensa. Imagino que seja a necessidade de encher páginas. A verdade é que quando o Barça já não tenha esse elenco, todos sentirão saudades”, completou.

Alternativas ao jogo de sempre

Alves também buscou explicar o fato do Barça atualmente alternar durante as partidas a sua conhecida filosofia de jogo com um estilo mais direto. “A principal alternativa que buscamos é atacar de forma mais rápida, no lugar de dar 30 ou 40 toques como antes. Com a qualidade que possuem nossos jogadores, temos que buscar opções como essa”.

Mas deixou claro que o Barça em nenhum momento deixou de lado a sua filosofia de futebol única. “Seguimos com a mesma filosofia, com o mesmo estilo e os mesmos jogadores. O único que fazemos agora é utilizar algumas variações. Pode ser que o nosso jogo ainda não esteja como antes, mas os resultados são incomparáveis”.

A forma de Messi

Daniel Alves usou a ironia uma vez mais quando a imprensa voltou a perguntar sobre o estado de forma de Leo Messi, um tema bastante abordado nas últimas semanas. “Talvez o Messi fique sem marcar gols só para que a imprensa possa ter debates. Na verdade, o estado dele não preocupa. Ele está trabalhando bem e isso é o mais importante”. Temos que dar mais mérito ao que foi conseguido, cada ano fica mais difícil e os rivais já conhecem nosso estilo

O lateral brasileiro também acredita que deveriam dar mais valor ao que o Barça conseguiu nos últimos anos. “Temos que dar mais méritos ao que foi conseguido. Cada ano fica mais difícil, os adversários já conhecem nosso estilo. Mas sempre que essa equipe foi questionada, respondeu da melhor maneira possível”. 

Um rival da ‘família’

Sobre o fato do Milan ser o time estrangeiro que mais vezes se enfrentou ao FC Barcelona nos últimos anos, disse: “O Milan é praticamente da família. Sempre nos encontramos nas competições. É um clube grande, histórico. Sempre vieram jogar no Camp Nou em mal momento e apesar disso complicaram nossa vida. Amanhã será igual”.

Daniel Alves também analisou o fato do Barça ter a defesa menos vazada da Liga Espanhola e da Champions League. “Não gosto de fazer análises no início do campeonato e sim no final, mas acredito que estamos no caminho certo. Os resultados comprovam isso”, declarou.



A polêmica de Blatter

Na última semana, o presidente da FIFA, Joseph Blatter foi alvo de críticas por revelar numa palestra na Inglaterra que entre Leo Messi e Cristiano Ronaldo, prefere, sem dúvida, o craque argentino. Blatter foi mais longe e inclusive imitou um comandante do exército, alegando ser o estilo de Cristiano Ronaldo em campo. “Que eu saiba não é Blatter que escolhe qual será o melhor jogador do mundo. Ele pode e deve ter opiniões pessoais, como outra pessoa qualquer. Não entendo toda a polêmica com relação ao que ele disse. Acho que irritou o fato dele ter feito uma imitação ruim“, afirmou Daniel Alves.