fcb.portal.reset.password
Os cartazes das Copas de 74 e 78

Os cartazes das Copas de 74 e 78

Neste episódio repassamos, sob um olhar azul-grená, a Copa de 1974, quando surgiu a “Laranja Mecânica” de Cruyff e Neeskens, e a de 1978, na qual a Holanda de Neeskens perdia pela segunda vez consecutiva a final contra os donos da casa.

ALEMANHA OCIDENTAL (RFA) 1974

- Naquela copa, como a Espanha havia caído nas Eliminatórias em partida tira-teima contra a Iugoslávia, só participaram dois jogadores do Barça, os holandeses Johan Cruyff e Johan Neeskens.

- Cruyff e Neeskens integravam a Holanda que assombrou o mundo do futebol, recebendo o apelido de “Laranja Mecânica”. Na fase inicial, a equipe se classificou em primeiro lugar em grupo que contava também com Suécia, Bulgária e Uruguai. A etapa seguinte, que pela primeira vez seria disputada no formato “minitorneio”, cujo vencedor disputaria a final, contou com um grupo formado por Holanda, Brasil, Alemanha Oriental e Argentina.

- A Laranja Mecânica venceu os três confrontos – contra o Brasil foi 2 a 0 – e passou à final, encontrando pela frente a anfitriã Alemanha Ocidental. O esquadrão liderado por Cruyff saiu na frente com o culé Neeskens, mas não pode evitar a virada e o resultado definitivo de 2 a 1.

- Neeskens, aliás, foi o segundo maior artilheiro do torneio, ao lado do polonês Andrzej Szarmach. Ambos anotaram dois gols a menos que um compatriota de Szarmach, Grzegorz Lato, que balançou as redes 7 vezes. Cruyff marcou três gols.

ARGENTINA 1978

- Seis jogadores do FC Barcelona estiveram presentes nesta edição da Copa do Mundo. Cinco eram espanhóis - Olmo, Migueli, De la Cruz, Asensi e Rexach – e um holandês, Johan Neeskens.

-A Espanha enfrentaria Áustria, Brasil e Suécia. E apesar de conseguir um empate contra os brasileiros e uma vitória contra a Suécia com um gol do culé Asensi, a derrota na estreia contra a Áustria, por 2 a 1, fez com que os espanhóis caíssem na primeira fase, por acumularem um ponto a menos que austríacos e brasileiros.

- A Holanda, que disputou o grupo 4 com Peru, Escócia e Irã, se classificou em segundo lugar após obter uma vitória e um empate. Na segunda, enfrentou Alemanha Ocidental, Itália e Áustria e novamente passou avançou à final como primeira do grupo. Mais uma vez encontrou na partida decisiva os donos da casa, a Argentina. A segunda derrota consecutiva holandesa em finais seria selada na prorrogação.

Voltar ao início